Espaço

Localizado na zona norte da cidade de São Paulo, a Serra da Cantareira possui a maior floresta de mata atlântica nativa do mundo dentro de uma cidade, englobando as partes mais altas do município de Mairiporã. Encravado no meio desse paraíso surge o Quinta da Cantareira um espaço de eventos único capaz de unir toda a sofisticação e glamour das mais badaladas festas de São Paulo num lugar paradisíaco em contato direto com a natureza. Um lugar único, sofisticado que une bom gosto e requinte em harmonia com o manto verde da serra da Cantareira.

O Complexo possui 20.000 metros quadrados de área, incluindo grande parte de reserva de área verde, divididos em 3 espaços, o Quinta da Cantareira com capacidade para 700 pessoas, o Quinta das Palmeiras, para eventos com aproximadamente 250 pessoas e o espaço Boulevard Villa das Roseiras para eventos com menos de 200 pessoas. O projeto arquitetônico foi elaborado para fazer parte integrante do projeto de decoração do evento, dando total suporte aos projetos cenográficos propostos. O espaço possui uma grande área externa livre, proporcionando vantagens únicas aos clientes que aqui fazem seus eventos como versatilidade e adaptação aos mais variados perfis de eventos, sejam eles corporativos ou sociais.

Estrutura única de cozinha, áreas de serviço independentes, amplo estacionamento com valet service próprio e heliporto.

Suntentabilidade e ecologia:

O projeto do espaço foi pensando para se integrar a paisagem sem agredi-la, na construção foram usados madeira de demolição, postes, tabuados e ripados. Grandes vitrais foram incorporados ao projeto para permitir o máximo aproveitamento da iluminação natural, a fumaça de gordura captada nas cozinhas é transformada dentro de um sistema especial, onde todos os resíduos ficam retidos e poluem 60% menos que os exaustores convencionais. Todo lixo coletado é separado e reciclado conforme normas vigentes.

A Fauna local também foi privilegiada com áreas de alimentação além do plantio de arvores nativas para reflorestamento de área degradada que geram abrigo e frutos que são parte da dieta alimentar de quatis, macacos e aves que são nativas da Serra.